Ligue-se a nós

Artesanatos

Como Lixar e Polir a Resina Epóxi Para Ela Ficar Brilhante!

Ao avançar pelas etapas de criação, secagem e cura do seu projeto com resina epóxi, chega uma etapa crucial para o resultado do trabalho: a fase de acabamento de lixar e polir. 

De fato, é um momento crítico do projeto e vários detalhes precisam ser levados em consideração para não colocar tudo a perder. 

Mas não se preocupe! A equipe da Guia da Resina Epóxi preparou para você um Manual de Como Lixar e Polir para que seu trabalho fique com aquele acabamento impecável. 

A importância da secagem e da cura antes de lixar e polir a resina epóxi

Antes de iniciar o processo de lixamento é fundamental ter noção da importância do processo de secagem e cura da resina epóxi. 

A resina não pode estar simplesmente seca, deve estar minimamente curada. 

Ao iniciar o lixamento sem que a peça esteja, no mínimo, um pouco curada, corre-se o risco de deformar a peça ou superfície em função do atrito causado pela lixa. Portanto, paciência é de suma importância durante esse processo. 

Caso não seja possível aguardar o tempo para a cura adequada, existem alguns truques para acelerar o processo. 

O uso de estufas para peças pequenas pode ser interessante. Para trabalhos maiores, aumentar a temperatura do ambiente é uma boa solução. 

Se você tem alguma dúvida sobre a diferença entre secagem e cura da resina, nos deixe um comentário abaixo. Teremos prazer em abordar o assunto futuramente! 

Evolução correta das lixas para lixar e polir a resina epóxi

Como lixar e polir a resina epoxi

Agora que a resina epóxi está devidamente seca e curada chega a parte do lixamento propriamente dito. 

Caso seja necessário plainar muito a peça, é necessário adotar lixas com granulações um pouco mais grossas como uma 60, por exemplo. 

Além disso, é importante seguir uma evolução da granulação durante o processo de lixamento.  

Pode-se começar com uma 60 e aumentar a granulação (diminuir a “grossura”) gradativamente conforme as imperfeições vão diminuindo. 

Exemplo de granulações e as aplicações: 

Granulação Tipo Finalidade Exemplo de Aplicação 
60 
80 a 100
Grossa Correção de grandes imperfeições Áreas maiores que apresentem grande diferença de nível 
120 
150
220
Média  Correção de imperfeições medianas Áreas maiores que apresentem diferença moderada de nível 
320 
400
Fina Opção mais grossa para acabamentos finos Áreas já niveladas e entrando na fase de acabamento 
600 
800
100
1200
Muito Fina Principal opção para acabamentos finos Áreas em processo de acabamento. Recomendada para acabamentos foscos 
1500 Extremamente Fina Início de processo de polimento, porém, sem muito brilho. Acabamentos finos em fase de polimento onde não se deseja muito brilho na área 
2000 ou mais Polimento Finalização de processo de polimento. Acabamento com brilho. Acabamentos finos em fase final de polimento onde se deseja que a área fique lustrosa 

 

É importante observar que a evolução da granulação das lixas deve ser gradativa ainda que sejam consideradas do “do mesmo tipo”. 

Por exemplo, se for necessário corrigir imperfeições medianas é necessário seguir a seguinte evolução: primeiro a lixa de granulação 120, depois a de 150 e a de 220 por último. 

Note que todas são classificadas como médias, porém, para um acabamento impecável é altamente recomendável que se siga essa evolução. 

Para o trabalho com resina epóxi é interessante investir em lixas que possuam materiais duros na composição dos grãos como óxido de alumínio ou lixas diamantadas, por exemplo. 

Lixas d’água – após o uso é recomendável lavar e manter a lixa em recipiente fechado com água. Isso mantém a lixa hidratada e aumenta a sua vida útil. 

Entre a troca de lixas, limpe bem a superfície que foi trabalhada. A presença de grãos mais grossos do processo anterior pode acabar riscando a superfície em que se está trabalhando.  

Aconselhável passar um pano umedecido de microfibra com solvente bem volátil (que evapora rapidamente). 

Lixamento seco ou úmido? 

Nas granulações mais grossas, costuma-se optar pelo lixamento seco por se tratar de um processo mais “grosseiro”. 

Lixamento úmido é recomendado para acabamentos mais finos (a partir de 1000 a 1200 aproximadamente). 

Lixamento mecanizado  

Como lixar e polir a resina epoxi

Caso possua algum equipamento para o processo de lixamento e polimento, separamos algumas dicas valiosas para você. 

Seja qual for o aparelho que você utilize: lixadeiras de fita (mais grosseiras), politrizes ou roto orbital (para acabamentos finos); é necessário atentar para o seguinte: 

  • Mantenha uma empunhadura firme; 
  • Respeite a evolução da granulação da lixa; 
  • Prefira rotações baixas para evitar o aquecimento excessivo que pode acabar deformando a resina; 
  • Mantenha o aparelho em constante movimento; 
  • Não aplique força excessiva visando acelerar o processo. 

Lixamento manual

Essa técnica é indica para peças ou superfícies pequenas, mas nada impede sua aplicação em trabalhos maiores. Apenas será um pouco mais trabalhoso. 

Além das dicas do lixamento mecanizado que são aplicáveis aqui também como: 

  • Evolução da granulação da lixa; 
  • Não aplicação de força excessiva para acelerar o processo. 

Ainda separamos essa dica de ouro que, com certeza, fará toda diferença nessa parte do processo: intercale o sentido do lixamento conforme aumenta a granulação. 

Imagine que você está lixando uma superfície e começa com a granulação 60. Opte por seguir um único sentido. Digamos que vertical. 

Ao evoluir para uma 80 ou 100, adote o sentido horizontal. 

Essa dica auxilia muito no controle do quanto deve ser lixado com a atual granulação pois, o “rastro” deixado pelo processo anterior ficará bem demarcado e deixará claro o que foi trabalhado no lixamento passado e no atual. 

Processo de polimento e Conclusão sobre Como Lixar e Polir a Resina Epóxi

O processo de polimento é muito parecido com o de lixamento. A diferença aqui é que, como as imperfeições já foram corrigidas, o intuito é dar brilho à resina epóxi. 

É importante fazer a combinação correta de boinas e polidores: para as boinas mais abrasivas é indicado um polidor nº 1. Para as mais macias, um polidor nº 2. 

Para finalizar com aquele brilho incrível, a boina de espuma combinada com uma boa cera.  

CONCLUSÃO – Gostou do nosso manual? Se conseguimos ajudar você a tirar alguma dúvida com ele, nos deixe um feedback nos comentários abaixo! 

Se você tem alguma sugestão para um futuro artigo, deixe um comentário abaixo para a gente! 

Grande abraço e até a próxima! 

Conheça mais dos nossos conteúdos gratuitos do blog:

Caso esteja sem ideias de desenhos prontos para bancadas, pisos e paredes, acesse https://www.countertopepoxy.com/ e www.leggari.com onde há muitos modelos.

Seguir essas dicas ajudarão a tornar o seu projeto o mais tranquilo possível. Você tem alguma Dúvida? Entre contato através do nosso Whatsapp   ou enviando um e-mail para nossa equipe em  contato@guiadaresinaepoxi.com

Eu trabalho com resina desde 2019, após dar tudo errado na minha carreira anterior, me encontrei verdadeiramente nessa área.
Já ajudei mais de 800 mil pessoas pelo mundo com meus conteúdos sobre resina epóxi.
Para trabalhar com resina, escolhi o segmento de arte oceânica.
Fui parar na televisão, participei em programas da TV Aparecida e TV Gazeta e hoje tenho confiança para vender e ensinar centenas de alunos a conseguirem ondas perfeitas e lucro com seus produtos que representam o mar.
Sou muito grato em ajudar a todos, é por isso que cheguei até aqui. Então deixe suas dúvidas nos comentários! Ficarei muito feliz em te responder!

Continuar Lendo
12 Comentários

12 Comments

  1. Tiago Pereira Osório

    21 de fevereiro de 2021 no 19:14

    Quanto de resina pra fazer uma mesa d 2 por 1

  2. AM

    7 de abril de 2021 no 07:03

    Muito bem explicado.
    obrigado

    • Gutemberg Motta

      7 de abril de 2021 no 14:10

      De nada! Um grande abraço.

  3. JOSIEL DE OLIVEIRA NASCIMENTO

    20 de abril de 2021 no 23:26

    Gostei muito vou começar pôr esses dias quero saber mais sobre às lixas

    • Gutemberg Motta

      23 de abril de 2021 no 17:04

      Boa! Fico feliz em ter ajudado!!

  4. Pamela

    29 de abril de 2021 no 13:15

    Olá, adorei as dicas. Após o processo com as lixas, há alguma pasta que eu preciso passar para dar mais brilho na peça?

    • Gutemberg Motta

      30 de abril de 2021 no 11:44

      Olá Pamela! Você pode usar pasta de encerar, óleo mineral, pasta de encerar carro, cera de caranuba… mas o que vai ter o melhor acabamento de todos é o Odies’ Oil. É internacional, mas é o melhor.

  5. Ciro Moraes

    11 de maio de 2021 no 12:46

    Qual tipo de verniz é aconselhável usar em resina epóxi.

    • Gutemberg Motta

      12 de maio de 2021 no 08:23

      Ciro, nenhum verniz é aconselhável usar. Apenas o processo inteiro de lixamento e no fim polir com uma pasta de polir. Pode ser pasta de polir carro, cera de carnaúba, dentre outros.

  6. Andrea

    20 de agosto de 2021 no 08:42

    muito obrigada pelas dicas!!! e para polimento manual qual seria a ordem correta? uso a cera de polir passando com a estopa mas ainda fica sem brilho.

    • Gutemberg Motta

      23 de agosto de 2021 no 15:01

      Andrea, a ordem é a mesma, porém polir de forma manual não fica bom. Lixar você consegue na mão, mas para polir recomendo usar uma micro retifica ou uma politriz.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artesanatos

Madeiras Ideias para efeito mar na resina epóxi

As madeiras são um material versátil que pode ser usado para muitas coisas, desde construção até decoração. Uma das maneiras mais populares de usar madeiras para efeito mar na resina.

Independentemente da técnica utilizada, as ondas na resina são um ótimo exemplo do potencial da combinação de madeira e resina. 

Neste artigo, vamos explorar algumas das maneiras pelas quais você pode criar ondas na resina em seus próprios projetos.

Os diferentes tipos de madeira para o efeito mar na resina

Existem muitos tipos diferentes de madeira para o efeito mar na resina. A madeira pode ser encontrada em muitos lugares, como nas florestas, nas planícies e nas montanhas. 

As madeiras podem ser usadas para fazer as ondas na resina de vários tamanhos e formas. As madeiras podem ser usadas para fazer ondas grandes ou pequenas, ondas longas ou curtas.

As mais comuns para as ondas na resina são o Pinus, o Bambu e a Teca. As madeiras mais raras usadas são a olmo, a carvalho e a nogueira. As madeiras mais exóticas que podem ser usadas são a cedro, a álamo e o teca.

Os pinheiros são geralmente os melhores tipos de árvores para serem usados para as ondas na resina. Eles crescem em florestas densamente arborizadas e têm um tronco reto e um diâmetro relativamente grande. 

Isso significa que elas podem fornecer um bom suprimento de madeira para as ondas na resina.

Pinus versus cedro: qual a madeira ideal para as ondas?

Cedro e pinheiro são as duas principais espécies de árvores utilizadas para a produção de madeira para o efeito mar na resina. Ambas as espécies são conhecidas por serem fortes e resistentes, o que as torna ideais para a construção de ondas de resina. 

No entanto, existem algumas diferenças entre estas duas espécies que podem influenciar a escolha da madeira ideal para as ondas de resina.

A espécie Cedro é uma madeira mais densa do que o pinheiro, o que significa que é um material mais pesado. Isto pode ser um benefício na construção efeito mar na resina, uma vez que a densidade extra pode tornar a onda mais estável e menos propensa a derrubar. 

No entanto, a densidade extra do cedro também significa que é um material mais difícil de trabalhar, o que pode tornar mais complicado e demorado para construir uma onda de resina com este tipo de madeira.

Pinheiro, por outro lado, é uma madeira mais leve do que o cedro. Isto pode ser vantajoso na construção de ondas de resina, pois significa que é um material mais fácil de trabalhar e pode ser manipulado com mais facilidade. 

No entanto, a madeira mais leve também significa que pode ser menos estável do que o cedro e pode ser derrubada com mais facilidade pelo vento ou pelas ondulações do mar.

As vantagens e desvantagens de usar madeiras em ondas na resina

As ondas na resina são um tipo de acabamento popular para pisos, paredes e outras superfícies. Ele é feito aplicando uma camada de resina sobre a madeira, que é então polida para um acabamento liso. 

O resultado é um brilhante, superfície resistente às intempéries que pode durar anos.

No entanto, há algumas desvantagens para swe usar madeiras em efeito mar na resina. A principal delas é o custo. A madeira precisa ser tratada com produtos químicos especiais e a resina pode ser cara.

Além disso, as madeiras podem enrugar ou manchar se não forem bem cuidadas.

As madeiras são um material popular para ondas de resina por causa da sua beleza natural. Elas podem ser usadas para criar uma variedade de texturas e cores, e são duráveis. 

No entanto, as madeiras também podem ter algumas desvantagens. Por exemplo, elas podem ser mais difíceis de trabalhar do que outros materiais, e podem ser mais suscetíveis a danos.

Como escolher a madeira certa para as suas ondas na resina

As ondas na resina são um tipo de arte feita a partir de uma variedade de materiais, mas a madeira é um dos mais populares. A madeira pode ser usada para criar qualquer coisa, desde pequenos itens decorativos até grandes obras de arte. 

No entanto, é importante escolher a madeira certa para as suas ondas na resina, pois algumas madeiras podem não funcionar bem com o processo.

Existem muitos tipos diferentes de madeiras que podem ser usadas para as ondas na resina, e cada uma delas tem suas próprias características únicas. 

Algumas dessas características podem afetar diretamente o processo de criação das ondas na resina, portanto, é importante fazer uma pesquisa antes de escolher a madeira certa.

Uma das primeiras coisas a considerar ao escolher a madeira certa para as suas ondas na resina é o tipo de madeira. 

A madeira para o efeito mar na resina é aquela que já foi cortada e está pronta para ser usada e 100% seca, enquanto a madeira verde precisa jamais poderá ser usada para qualquer trabalho com resina epóxi.

Como ter mais dicas sobre efeito mar na resina

Eu tenho um grupo no Telegram para dar dicas sobre efeito mar com a resina. Além disso, posto vídeos no Youtube todos os dias sobre o assunto.

Caso queira participar do grupo, só clicar nesse link: Grupo Efeito Mar em Resina

Onde Comprar Resina Epóxi para Efeito Mar com Resina?

chaveiro de resina epoxi

Para comprar resina epóxi para iniciante, pigmentos, corantes ferramentas e outros materiais, é só você clicar nesse link www.redelease.com.br para acessar a loja da maior produtora de resinas do Brasil. A única empresa no Brasil com certificado internacional de qualidade da resina epóxi.

Você pode usar o cupom GUIADARESINAEPOXI10 para ganhar de até 15% de desconto em qualquer compra.

Fale direto com o WhatsApp da Redelease Clicando Aqui >

Conheça mais dos meus conteúdos gratuitos do blog:

Seguir essas dicas ajudarão a tornar o seu projeto o mais tranquilo possível. Você tem alguma Dúvida? Entre contato através do nosso e-mail:  contato@guiadaresinaepoxi.com

Continuar Lendo

Artesanatos

Como Desidratar Plantas E Flores Para Resina

Hoje vamos selecionar algumas formas para você desidratar plantas e flores para resina e criar diversas produções.

As hortênsias e rosas, conseguem ser secadas ao ar livre penduradas em um varal, por exemplo.

Outra maneira para secar estas flores, é usando a areia fina e a sílica gel para a secagem e conservação.

É fundamental que as plantas e flores, não fiquem muito maduras, já que isso poderá fazer com que elas se despedacem, e tornem o procedimento impossível e, que, não possam apresentar danos em suas pétalas, pois após secarem, podem ficar mais evidentes.

Confira 3 formas para desidratar plantas e flores para resina

Secagem em livros

Coloque a flor ou a planta em um livro, para que elas não fiquem com relevo, e deixe-as por até 30 dias. Opte por livros com páginas mais amarelas, pois assim elas podem absorver melhor a umidade.

Você pode fazer esse processo 3 vezes. Depois de 10 dias, deve-se mudar as flores de página. Faça isso até completar os 30 dias.

Secar ao ar livre

Neste procedimento, você será capaz de desidratar plantas e flores para resina de todo tipo, porém aquelas mais saudáveis, cheias e frescas, são as melhores.

Tente evitar as doenças ou murchas, pois elas vão parecer mortas, quando secarem.

Retire dos caules as folhas, até os botões da flor, para ficarem lisas. Cada tipo deverá ser agrupado em grupos individuais.

Em volta do maço, enrole um pedaço de fio várias vezes perto da base do caule, e amarre dando um laço ou nó.

Você deve verificar se o fio está bem preso, pois assim evita que as flores caiam quando estiverem penduradas.

Coloque o maço em uma área fresca e seca, onde as flores não sejam incomodadas. Pendure-o no arame utilizando o fio, de maneira que ele não esteja torto.

As flores vão secar na mesma posição que estão penduradas, então, garanta que qualquer botão esteja virado para baixo.

Espere de 2 até 4 semanas, para desidratar plantas e flores completamente. Caso os maços comecem a cair durante o processo, amarre de novo e pendure-os novamente.

Aliás, não os toque. Ao final, borrife suavemente um spray de cabelo, para que o formato seja mantido.

Secar com sílica gel

Para desidratar plantas e flores com sílica, utilize um recipiente de plástico, bem vedado.

No fundo, vá colocando a sílica gel, e acomodando as flores para a secagem, cobrindo-as com mais sílica, até que elas sejam totalmente cobertas.

As flores devem ser deixadas por até 48 horas, na sílica gel. Depois desse prazo, com uma pinça, retire-as cuidadosamente.

Para limpá-las utilize um pincel seco. Essa técnica consegue preservar muito a tonalidade da flor.

Dica extra para desidratar plantas e Flores

Outra forma para desidratar plantas e flores, é utilizando a areia. Você pode usar areia de animais ou de construção, que tenha a granulometria mais fina.

Você deve lavá-la e secá-la ao sol, ou também em um forno, se quiser. Antes de usar, deixe esfriar.

Utilize uma caixa, cobrindo o seu fundo com a areia, acomodando as flores e folhas e espalhando a areia por cima e em volta delas, até estar completamente coberta.

Mantenha em um espaço ventilado.

Após secar as plantas, faça a limpeza com um pincel. Você também pode reutilizar a areia, porém deverá lavar e secar.

Agora é sua vez! Tente desidratar plantas e flores, para você fazer belos trabalhos com resinas, utilizando as nossas sugestões!

Onde Comprar Resina Epóxi para usar com flores desidratadas?

chaveiro de resina epoxi

Para comprar resina epóxi para iniciante, pigmentos, corantes ferramentas e outros materiais, é só você clicar nesse link www.redelease.com.br para acessar a loja da maior produtora de resinas do Brasil. A única empresa no Brasil com certificado internacional de qualidade da resina epóxi.

Você pode usar o cupom GUIADARESINAEPOXI10 para ganhar de até 15% de desconto em qualquer compra.

Fale direto com o WhatsApp da Redelease Clicando Aqui >

Conheça mais dos meus conteúdos gratuitos do blog:

Seguir essas dicas ajudarão a tornar o seu projeto o mais tranquilo possível. Você tem alguma Dúvida? Entre contato através do nosso e-mail:  contato@guiadaresinaepoxi.com

Continuar Lendo

Artesanatos

Silicone Caseiro Para Moldes – Veja como fazer

Silicone Caseiro Para Moldes

Nesse artigo, veja como fazer silicone caseiro para moldes de vários objetos, e produzir as mais variadas peças artesanais, em sua casa!

Muitas pessoas pensam que é muito difícil obter o molde de algum objeto e depois copiá-lo. Então, pegue as dicas a seguir.

Materiais para Fazer Silicone Caseiro Para Moldes

Antes de tudo, você consegue encontrar o silicone para moldes a venda em várias lojas de artesanato ou por meio da internet.

Ele pode ter várias cores, e é classificado por um nível de maciez, que o torna mais rígido ou macio, de acordo com a sua necessidade de uso.

E para fazer o seu silicone caseiro, será preciso de:

  • Silicone
  • Detergente
  • Molde a ser utilizado

Passo-a-passo para fazer o seu silicone caseiro

Pegue uma tigela e encha de água. Ela precisa ficar em uma temperatura adequada, ou seja, nem quente ou fria. Coloque uma boa quantidade, para que você mergulhe sua mão depois.

Adicione um pouco de detergente na água. Vá misturando até que o produto se dissolva completamente.

  • Caso você queira, também pode utilizar glicerina líquida. Ela consegue reagir com o silicone, e pode fazer com que suas partículas, possam aderir entre elas.

Agora deixe sua mão e a peça que será copiada bastante molhadas, também com a água e o detergente.

Agora acrescente na água o silicone. Você pode adquirir um tubo de silicone puro ou acético em lojas de construção.

Mas, o produto não deve ser do tipo que consegue secar rapidamente. Adicione a quantidade certa do produto, para cobrir o item que você deseja moldar.

Usando o Silicone de Vedação

O tipo de silicone ainda é conhecido como silicone de vedação.

Caso o seu tubo não inclua a seringa para aplicação, adquira uma pistola de vedação.

Para utilizá-la, coloque o tubo, cortando a sua extremidade e faça uma abertura no local.

Vá amassando o seu silicone caseiro, enquanto ele ficar submerso. Pegue-o e aperte o produto, até que ele não grude mais sob o líquido. Isso pode levar alguns minutos.

  • Tente transformar a massa em um disco consistente.
  • Comece a enrolar com suas mãos o silicone. Aperte contra um local plano, e faça força.
  • Ele também precisa estar mais grosso, que o item a ser moldado.

Caso o silicone esteja ainda grudando, coloque uma quantidade fina de detergente no local em que está trabalhando, e nas suas mãos.

Agora é só você colocar essa massinha de silicone caseiro sobre a peça que você deseja copiar. Lembrando que tudo precisa estar bastante molhado, com água e detergente.

Você deve ir modelando, até deixar tudo encaixado no molde. Deixe o silicone ficar rígido. Este produto nunca fica completamente duro, porém um pouco maleável.

  • Aguarde algumas horas, até o material atingir o aspecto adequado.
  • Retire o item do molde.
  • Pegue o silicone caseiro pelas pontas e o dobre para trás, separando assim os itens.

Além disso, você pode virar ou fazer o que for preciso para separá-los.

Utilize o molde. Preencha-o com algum tipo de material, e o retire após isso para secá-lo.

Você pode usar algumas resinas no seu silicone caseiro como por exemplo, uma resina 4008, um endurecedor 5000 e qualquer corante de sua preferência, e aguardar o material endurecer e curar.

Utilize vaselina em pasta para untar a forma.

Conclusão sobre como fazer silicone caseiro para moldes.

Viu como é fácil fazer o seu próprio silicone caseiro para moldes, somente utilizando alguns materiais? Então agora é a sua vez de brincar e pegar vários moldes de outros objetos, usando este material.

Se você quiser fazer molde de silicone para trabalhos de resina, não utilize esses moldes caseiros.

Isso porque o acabamento da resina ficará com pequenos defeitos e com acabamento fosco.

Então recomendo utilizar borracha de silicone profissiona.

Onde Comprar Silicone para Moldes de Resina?

chaveiro de resina epoxi

Para comprar resina epóxi para iniciante, pigmentos, corantes ferramentas e outros materiais, é só você clicar nesse link www.redelease.com.br para acessar a loja da maior produtora de resinas do Brasil. A única empresa no Brasil com certificado internacional de qualidade da resina epóxi.

Você pode usar o cupom GUIADARESINAEPOXI10 para ganhar de até 15% de desconto em qualquer compra.

Conheça mais dos meus conteúdos gratuitos do blog:

Seguir essas dicas ajudarão a tornar o seu projeto o mais tranquilo possível. Você tem alguma Dúvida? Entre contato através do nosso e-mail:  contato@guiadaresinaepoxi.com

Continuar Lendo
Anúncio
Anúncio

Sobre o Idealizador

Destaques

Todos os Direitos Reservados © 2019 Guia da Resina Epóxi